sábado, 12 de dezembro de 2009

Eis as questões!



É engraçado como você mexe comigo e o jeito que me trata.
Eu estou confuso, não sei o que fazer nem o que falar quando diz me amar.
Encho-te de beijos, de carinho, amo-te, e olha no que transformamos este amor... Em distância, medo, desespero, angustia...
O medo faz com que tomemos atitudes não pensadas que podem causar mais distância e mais medo posteriormente. Foi o que aconteceu e é o que acontece.
Eu não quero simplesmente ter que me desdobrar em vários pedaços para que você fique comigo. Não quero largar tudo. Não peça! Não queira!
Não irei mudar meu jeito e nem você o seu. O que faremos?
Eu pergunto como o amor pode sobreviver tanto. Que força é essa que não deixa eu parar de pensar em você? Não deixa eu parar de querer e de sentir você. Por quê?
Só quero que saiba que estou pensando em você mesmo que não demonstre.
Os namorados vão e voltam. Ou simplesmente, vão.
O que será de nós? Dúvidas e mais dúvidas.
Já escrevi tanta coisa para tanta gente, mas não sei o que escrever agora – pra você. Faltam-me as palavras em várias áreas da vida neste momento. Muita coisa mudou. Cresci mais rápido do que eu imaginava. Antigamente, as pessoas cresciam de acordo com sua potência de idade e inteligência. Hoje, somos obrigados a crescer rapidamente e a vida passa, sem pedir licença. E também não te pergunta se você já está pronto para crescer. Ela apenas quer que você esteja! E eu, eu estive? Não sei! Só sei que cresci. E você, você cresceu? Esse é um dos meus medos.
Beijomeligaemeame!

4 comentários:

M disse...

Luh, esse texto mexeu um pouco comigo, pois posso dizer que ele também diz em algumas pontos o que se passa ou passou em minha vida, neste ou em outro momento..ai ai, complicado!!!:(

Dayanne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dayanne disse...

Luís...
Não teria a ousadia de entrar em seu blog e sair sem dizer nada! Apesar, de que ainda estou tentando encontrar uma palavra que possa te parabenizar, não um parabéns comum... um parabéns único e exclusivo, feito pra você!
Sabia que guardo um grande carinho por você! Saudades!

Lelê disse...

Olá Luís. De novo passo por aqui e quero registrar o quanto gostei deste texto. Ele fala também de mim! Parabéns por tanta sensibilidade!
Abraço.