sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Quando o amor é catastrófico - ("As várias faces" - Texto 3)

Quanto tempo você vai deixar que os segundos passem e tomem conta dos nossos destinos?
Destinos esses que talvez não vão estar mais entrelaçados.
Destinos que a vida está dando seu próprio jeito de separar.
Todas as vezes que beijei alguém, eu não estava pensando em você. Mas todas as vezes que passei por algum momento, seja ele feliz ou não, você foi a principal pessoa que soube.
Por quê? Porque a vida quis assim. Porque a vida fica mais fácil quando você tem alguém para desabafar e sabe que ela vai estar sempre ali.
Ilusão!
Começo a pensar que as pessoas realmente vão e poucas voltam para o “berço”. Poucas voltam para seus antigos e verdadeiros amigos.
Dói, mas é a realidade.
Uns sempre saem perdendo nessas cordas ou comparáveis teias de aranha.
Sim, teias de aranha.
Emaranhado de linhas finas, que juntas são uma verdadeira resistência. Poucos podem detê-las, ou ninguém.
Espero que arrependimentos não venham depois. Seria imperdoável uma revolta sua. Porém, completamente aceitável uma minha.
Pense!
Sinta!
Absorva o que puder do mundo e ele te dará o que você tanto quer: UM AMOR!
Um amor que te ame. Um amor que te dê o verdadeiro valor dessas letras juntas. Sendo de qualquer idade, raça, etnia, seja do ocidente ou oriente, fazem a real diferença na vida de qualquer pessoa.
Não quero prever nada e nem quero explicações. Seria totalmente catastrófica qualquer palavra que eu proferisse sobre este assunto. Ultimamente, seria catastrófico qualquer ditado meu sobre “o amor” para você.

Ps.: quando eu estava num bate-papo com um amigo (Lucas), surgem algumas revoltas explícitas – para alguns, implícitas - no texto acima.


"(...) Mas que seja infinito enquanto dure." ( Vinícius de Moraes - "Soneto de Fidelidade")

5 comentários:

Lucas Bueno disse...

... "Começo a pensar que as pessoas realmente vão e poucas voltam para o “berço”. Poucas voltam para seus antigos e verdadeiros amigos"...

até me arrepiei ! ^^

Ronaldo Moreno disse...

"E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude."

(Soneto do Amor Total - Vinícius de Moraes).

Levi disse...

Oi amigo, profundo o seu texto,me emocionei ao lê-lo...é profundo,é um texto que eu chamaria de poesia em prosa,um paradoxo eu sei,mas é asim que o dscreveria.Seu texto é perspicaz,é sincero por iso cativante.Tem o dom das letras ,siga em frente e um futuro brilhante te espera!!!

Mai disse...

Maninho meu amor...
Você me emociona muito com seus textos tocantes...
Amo cada um de uma forma inexplicavel, pois seus textos agem de uma forma inexplicavel com o sentimento das pessoas...

Apenas posso dizer: Maravilhoso, sempre!



Ps: Quando vc tiver seu livro, eu quero um autografado rs =P

mandy q disse...

cara, que texto maravilhoso *-* sério, você tem mt futuro *o*
bgs