quinta-feira, 9 de abril de 2009

Só pense...

Estou escrevendo com uma caneta de pena em uma folha que reflete de alguma forma tudo o que vive no passado. A escuridão da minha vida, a fumaça impregnada nos meus passos e nos meus atos.
Escrevo nessa folha para que as lembranças que estão rasas em minha vida sejam profundas.
É necessário cultivar lembranças boas e ruins: as boas, para que recorde com alegria de um momento que pode nunca mais voltar; já as ruins, recordar os momentos difíceis e que você aprendeu algo fazendo a coisa errada.
Não canto para todos. Canto apenas para mim. Porém, escrevo para todos. Sobretudo, para meu entendimento, para meu amor, para minhas tristezas, para as minhas alegrias. Esses sim são os sentimentos que devo apaziguar quando coloco uma caneta na mão e faço meu show.
Apaziguar meus sentimentos e minhas esperanças é o que mais quero neste momento. Às vezes dependo de você, entretanto no próximo minuto vejo-te diferente. Não é mais necessário.
Vejo minhas folhas se acabarem, mas as palavras estão apenas começando a sair do coração, a transpassar pela pena e chegar a todos – necessariamente a você. Quem sabe ainda estarei vivo amanhã para dizer o que sinto, o que vejo...
Pode ser tarde! Você também me deixou tanto tempo esperando, escrevendo, pensando... Por que agora não deixar para amanhã o que poderíamos já ter feito há algum tempo? Só “pense no que simboliza uma porta aberta”.

“(...) Não estou brincando. Pense bem. O que seria qualquer civilização sem as portas? Pense no que uma porta fechada é capaz de esconder: lágrimas, relacionamentos íntimos, escândalos, assassinatos, mistérios, segredos de família, segredos de Estado. (...) Os amantes também. Inversamente, pense no que simboliza uma porta aberta: um convite à casa de alguém, ao coração de alguém, a entrar numa cozinha, numa sala de jantar, num cofre bancário, até (...) num quarto. (...)”
(Thrity Umrigar - "A Doçura do Mundo")

3 comentários:

Anônimo disse...

Adorei a parte das lembranças... às vezes não nos damos conta da quantidade que temos!

Como vc mesmo disse, "deu um show"! Texto maravilhoso Luh...

Parabéns!
Amo vc!

Beijos, Vinny!

Mel disse...

to mto ruim pra fazer um comentario decente, mas vc sabe. e TU *-*

Mai disse...

hahaha... Até que enfim atualizou seu blog neh, e nao tenho nem comentarios ... tudo que você escreve, escreve com o coração, e é simplismente... hum... vejamos, PERFEITO...
Parabéns mais uma vez por me dar essa sensação maravilhosa de quando leio o que escreves...

Beijos, amo vc..